Governo beneficia 1.425 agricultores com ações de fomento à agricultura familiar


Nesta segunda-feira, 22, o governo do Estado dá prosseguimento às ações de combate aos efeitos da seca e de fomento à agricultura familiar com a entrega de material forrageiro, assinatura de termo de adesão ao Garantia Safra e autorização de projetos produtivos no âmbito do Dom Távora. São 1.425 pessoas beneficiadas nos municípios de Gararu, Nossa Senhora da Glória e Carira, um investimento de R$ 1.772 milhão.

O governador Jackson Barreto visitará os três municípios e coordenará as ações. A assinatura de termo de adesão estadual ao programa Garantia Safra assegura contrapartida do aporte financeiro para a nova safra 2017/2018, que inicia em 1º de julho de 2017 e se encerra em 30 de junho de 2018. O aporte estadual corresponde a 12% do Fundo Garantia Safra, o municipal é de 6%, o agricultor participa com 2%. 80% correspondem ao aporte do governo Federal. 

O Fundo Garantia Safra é destinado aos agricultores que a ele aderirem e que venham a sofrer com perda de pelo menos 50% do conjunto da produção de feijão, milho, arroz, mandioca, algodão ou outras culturas. Sergipe tem regularmente cumprido sua contrapartida e, em dezembro de 2016, quitou o aporte de R$ 1.709.010 (safra 2015/2016), garantindo o benefício a mais de 16 mil agricultores cadastrados. Esse aporte assegurou que fossem aplicados recursos superiores a R$ 14.071.750 na economia do interior sergipano. O valor do benefício para agricultor cadastrado é de R$ 850.

Material forrageiro

A distribuição de material forrageiro integra o programa de combate aos efeitos da estiagem e é realizada pela coordenadoria estadual de Defesa Civil. A ação é resultado do Plano Detalhado de Resposta aos efeitos da seca, elaborado pelo governo e apresentado ao Ministério da Integração Nacional, o qual destinou R$ 4,6 milhões à aquisição 6.142,5 toneladas de material forrageiro, que serão distribuídos a 7.484 produtores rurais, em 32 municípios. Em Gararu, serão distribuídas 452,1 toneladas, que vão beneficiar 545 produtores da agricultura familiar, um investimento de R$ 338.568,99. 

São contemplados com material forrageiro os municípios de Poço Redondo, Canindé de São Francisco, Carira, Monte Alegre de Sergipe,  Nossa Senhora da Glória, Porto da Folha, Aquidabã, Canhoba, Cedro de São João, Cumbe, Feira Nova, Frei Paulo, Graccho Cardoso, Itabi, Japoatã, Macambira, Moita Bonita, Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora das Dores, Nossa Senhora de Lourdes, Pedra Mole, Pinhão, Poço Verde, Propriá, Riachão do Dantas, Ribeirópolis, São Miguel do Aleixo, Simão Dias, Telha, Tobias Barreto e Tomar do Geru.

Nossa Senhora da Glória

Conhecida pela produção leiteira como importante atividade econômica, Nossa Senhora da Glória também adere ao programa Garantia Safra e recebe material forrageiro. Serão distribuídas 371,7 toneladas, que vão beneficiar a 421 produtores, somando R$ 278.358,97.

Em Glória, a recuperação da barragem do povoado Aningas também integra o conjunto de medidas de combate aos efeitos da seca. Foi feita uma limpeza, na qual se retirou a lama acumulada, além de proporcionar o aumento da capacidade de armazenamento de água. Após a obra, a capacidade máxima estimada passou a ser de 60 mil m³.

O produtor José Dilson Nunes da Mota disse que a ação do governo foi essencial para que os moradores continuassem com a criação de animais. “Esse crescimento da barragem ajudou demais a nós, que criamos gado. Várias pessoas vêm pegar água pra usar na criação de animais e se não fosse por ela, não teríamos como viver”, enfatizou.

De acordo com o engenheiro civil da Cohidro, Valdi Aragão, que atua na área de barragens, essa obra tem grande importância, não apenas para a coleta de água dos pequenos proprietários de terra e produtores, mas também na questão da redução de custos. “Essa região precisa ser abastecida de alguma forma. Sem a barragem precisaríamos disponibilizar a água em carros-pipa, o que resultaria em gastos maiores para assistir essas comunidades”, explicou.

Mesmo com o intenso período de seca que tem prejudicado sobretudo o povo sertanejo, o Governo do Estado não deixou de estudar possibilidades para auxiliar a vida de quem mora nas regiões mais atingidas. “Com essa seca, o Estado aproveitou para recuperar e ampliar várias barragens, o que não seria possível em outras épocas, pois esses reservatórios estariam sempre cheios, inviabilizando assim esse tipo de serviço”, relatou Valdi.

O trabalho do Estado é reconhecido pelo morador do povoado Aningas, Marcos Nunes da Mota. “A gente teve a felicidade de o governo ampliar a barragem, que é muito importante não só pra nossa comunidade, mas pra toda essa região. Tem gente de várias outros lugares circunvizinhos, e até mesmo da Bahia, que se abastece dela durante todo verão”, afirmou.

Edileuza Maria de Oliveira, que também é produtora local, reafirma a importância do reservatório. “Nós sofríamos demais sem ele. Essa água ajudou muita gente e, se não fosse isso, nossos animais teriam morrido de sede”, agradeceu.

Carira

Já os agricultores de Carira recebem quatro projetos produtivos no âmbito do Dom Távora. Serão investidos, ao todo, R$ 927.435,98 em benefício de 99 famílias que desenvolvem iniciativas nas áreas de bovinocultura de leite e ovinocultura para reprodução de matrizes com ênfase na comercialização. O objetivo é incrementar negócios na área rural, com foco nas cadeias produtivas e na sustentabilidade.
De acordo com o secretário de Estado da Agricultura, Esmeraldo Leal, os agricultores familiares beneficiados já têm um perfil prioritário e possuem uma produção relativamente grande. O gestor acredita que a colaboração do governo ajuda a estimular a produção rural e a potencializar ainda mais a capacidade dos grupos produtivos. 

“Jackson Barreto tem convicção da importância do Dom Távora para a população e ele tem dito isso em todos os locais que visita. Ele entende a importância de atender os agricultores familiares e o impacto disso na renda do município e no desenvolvimento do estado, de uma maneira geral. Outra coisa que o governador deixa muito claro é que o Dom Távora não é uma ação que leva obras físicas, e sim que leva apoio para culturas importantes e para grupos sociais que ajudam muito na economia sergipana”, complementou Esmeraldo. 

Uma das beneficiadas com o Dom Távora é a agricultora Jessivalda Olivera Costa, da Associação de Cooperação Agrícola Roseli Nunes. Para ela, o projeto irá ajudar sua família em diferentes aspectos. “Nós vivemos num local onde nada chegava. Por meio desse projeto vamos comprar nosso gado, vender o leite e, com o dinheiro que ganharmos, poderemos criar nossas famílias. Ou seja, esse projeto chegou pra nos salvar nossas vidas”.

A associação a qual Jessivalda é vinculada fica localizada no assentamento Roseli Nunes. A ideia é que o grupo de produtores rurais da localidade seja beneficiado com investimento de R$ 173.550, sendo R$ 28.925 a contrapartida dos associados. Ao todo, 17 famílias receberão apoio para implantação de um sistema integrado de produção de ração para o desenvolvimento da bovinocultura de leite. 

Os recursos do projeto se destinarão à construção de um prédio para a instalação de mini fábrica de ração com terração para secagem de palha; aquisição de equipamentos forrageiros, de 22 matrizes bovinas leiteiras e de um reprodutor leiteiro; capacitação dos beneficiários ao cultivo de palmas. 

O presidente da associação Roseli Nunes, Matheus Sousa dos Santos, conta que, por terem passado um verão ruim com perda de gado e pastagens, o Dom Távora chega em boa hora. “Com a proximidade do inverno essa ajuda deve ser ainda melhor, pois vai colaborar conosco na recuperação dos prejuízos”.

Irmã Dorothy

No assentamento Irmã Dorothy, o Dom Távora leva R$ 241.143,66 para 30 famílias da associação de cooperação agrícola local. O projeto contempla atividades de bovinoculura de leite com implantação de sistema semi-intensivo em áreas de pastejo aberto e suporte forrageiros com a implantação de banco de proteínas. A contrapartida da associação é de R$ 40.190,61.

Para o presidente da associação Irmã Dorothy, José Pereira dos Santos, o Dom Távora permitirá que ele e os demais produtores possam investir na criação de bovinos. Ele conta que, se não fosse o projeto, não haveria condições de desenvolver as mesmas ações, pois a renda que ele e os demais têm é utilizada apenas para o sustento básico. 

“Eu tenho 65 anos de idade, trabalho desde cedo e, mesmo assim, não consigo me aposentar. Sem a aposentadoria e com a falta de trabalho no campo está muito difícil de viver e é por isso que o Dom Távora é a última esperança para mim e para muitos que moram aqui. Jackson está de parabéns pelo desenvolvimento promovido através desse projeto. Com isso ele tem ajudando muitas famílias que estão passando por dificuldades”, declarou José Pereira. 

Os investimentos do Dom Távora para a Associação de Cooperação Agrícola Irmã Doprothy serão para aquisição de 30 matrizes leiteiras, de dois reprodutores leiteiros e de uma forrageira; reforma do curral; construção de uma plataforma de ordenha; implantação de banco de proteínas; além de capacitação dos beneficiários. 

Assentamento Edmilson Oliveira

Na Associação dos Pequenos Produtores Rurais do assentamento Edmilson Oliveira, dentre as 26 famílias beneficiadas está a de Maciel Patrícia de Souza Araújo. Ela acredita que o Dom Távora vai trazer grande melhoria nas condições, ainda mais levando em consideração que os produtores locais já possuem experiência com a criação de pequenos animais. 

“Esse dinheiro vai dar uma alavancada na nossa comunidade. O melhor de tudo é saber que o Dom Távora vai chegar na hora certa, pois estávamos passando por muitos problemas, principalmente com a falta de alimento para os bichos. Corremos atrás das exigências para fazer parte do projeto e agora, graças a Deus, o governador pode mandar a verba e nós temos condições de honrar com nossa parte. Em nome da associação queremos agradecer ao Governo do Estado e à Secretaria de Agricultura, representada por Esmeraldo Leal, que trabalhou muito ao nosso lado por essa conquista. Deus abençoe a todos que estão fazendo desse projeto um sonho possível”, disse Maciel Patrícia, que é presidente da Associação de pequenos produtores do assentamento Edmilson Oliveira. 

Diferente dos produtores rurais das demais localidades, o carro chefe dessa associação é a ovinocultura para reprodução de matrizes com ênfase na comercialização. O investimento total é de R$ 271.386,32, com contrapartida dos agricultores na ordem de R$ 54.820. Os recursos se destinam à aquisição de 348 matrizes, 14 reprodutores ovinos, forrageira e misturador de ração; construção de galpão e aprisco; implantação de palma; e capacitação dos beneficiários. 

Ainda no mesmo assentamento, outro projeto do Dom Távora beneficia a comunidade. Desta vez, recebem o apoio 26 famílias da Associação de Cooperação Agrícola Edmilson Oliveira, que têm projeto de apoio ao desenvolvimento da bovinocultura de leite. O financiamento total do projeto é de R$ R$ 241.356, sendo R$ 40.226 de responsabilidade dos produtores. José Conrado de Sousa é um dos beneficiados. 

“Temos muito a agradecer por um projeto dessa natureza porque nossa vida não é fácil. E não estamos apenas animados com esse projeto. Sabemos que se fizermos tudo corretamente, poderemos atrair novos contratos. Daqui pra frente é só plantar e colher os bons resultados. Também quero dizer que não recebíamos atenção de outros governos. Na gestão de Jackson, logo no final dos dois primeiros anos, recebemos uma ajuda com silagem e agora veio o Dom Távora, o que deixa a gente confiante no trabalho que tem sido feito”, destacou o agricultor José Conrado.

Os recursos do projeto da Associação de Cooperação Agrícola Edmilson Oliveira são para construção de um curral e de plataforma de embarque e desembarque; aquisição de 26 matrizes para produção de leite (vacas), dois reprodutores leiteiros e uma forrageira; além de capacitação dos beneficiários. 

Em Carira, serão distribuídas 291,1 toneladas de material forrageiro, que vão beneficiar 360 produtores da agricultura familiar. O investimento em é de R$ 217.999,19. 

Dom Távora

Além do alto investimento financeiro do Governo do Estado e de promover condições para que projetos rurais obtenham destaque, o Dom Távora proporciona que agricultores dos quatro projetos tenham assistência técnica por meio de técnicos da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário (Emdagro) e consultores especialistas.

O supervisor local da Emdagro e regional do Dom Távora, José Ananias Rezende de Lima, explica que os agricultores receberão todo suporte durante o processo de implantação dos projetos, além de acompanhamento do que está sendo feito até o final dos contratos. “Faremos visitas periódicas a fim de conduzir o trabalho dos produtores para que eles possam ter o melhor rendimento possível dentro daquilo que foi projetado, sempre tirando dúvidas e fiscalizando o que está sendo posto em prática”. 

E o projeto Dom Távora não chega pela primeira vez em Carira. Em dezembro de 2016, já haviam sido celebrados quatro planos, beneficiando 113 famílias de agricultores familiares.  Os recursos investidos totalizam R$ 1.238.472. Com estes quatro novos planos, o total de famílias beneficiadas pelo Dom Távora em Carira passa a 212 famílias no município, com recursos totais da ordem R$ 2.165.907,98. 
 







Fonte: agencia.se.gov.br

Seja o primeiro a avaliar!


Adicionar aos favoritos

19 mai 2017


Por ASN
Anuncie